crítica

Crítica | American Crime Story: The People v. OJ Simpson

Crítica | American Crime Story: The People v. OJ Simpson

Sinopse

American Crime Story: The People v. O. J. Simpson é baseada na obra de Jeffrey Toobin chamada “The Run of His Life: The People v. O. J. Simpson“, que conta a história dos bastidores da investigação e julgamento do ex-jogador de futebol americano O. J. Simpson (Interpretado Cuba Gooding Jr.) que foi acusado de ter assassinado sua ex-mulher Nicole Brown e o namorado Ronald Goldman.

Crítica

Ganhadora de nove prêmios do Emmy (o Oscar da TV americana), inclusive de melhor minissérie drama e melhor roteiro de minissérie, a primeira temporada de American Crime Story conquistou a crítica, pela forma que Ryan Murphy (criador das séries de sucesso “Glee” e “American Horror Story”) resolveu contar uma história que boa parte do público já conhecia.

Ambientada na década de 90, onde o preconceito racial nos EUA era forte, a série começa mostrando uma notícia real, onde um taxista negro chamado Rodney King é espancado pela polícia de Los Angeles e detido sob a acusação de dirigir em alta velocidade, quando levados a julgamento, os policiais foram absolvidos por um júri formado por dez brancos, um negro e um asiático, o que provocou uma das maiores ondas de violência da história da Califórnia.

Essa introdução serve como combustível ao decorrer de toda a série. A questão racial (que inclusive é título de um dos episódios) é percebida desde o início das investigações, tanto pelo telespectador quanto pelos advogados de ambas as partes.

Logo após a exibição dos noticiários, somos jogados direto para cena do crime. Um casal acaba de ser assassinado na frente de uma residência. O homem era um anônimo, garçom de um restaurante. A mulher, contudo, se chamava Nicole Brown e estava recém divorciada do astro do futebol – agora estrela de cinema – OJ Simpson. As vítimas tinham sido esfaqueadas com brutalidade, enquanto os filhos dela ainda dormiam no andar superior da casa. O.J Simpson, que acabava de embarcar em um avião em direção a Chicago, é principal suspeito.

Na manhã seguinte do crime, transtornado com a ideia de ser preso, OJ pega seu carro e resolve fugir. Imediatamente a polícia começa sua caçada. Naquele momento, a fuga estava sendo transmitida para milhões de pessoas, fazendo que o caso começasse ganhar o status de o “julgamento do século”. Com uma arma apontada na cabeça, o carro que estava sendo conduzido por um amigo, percorre as ruas de Los Angeles por cerca de 1 hora. Para dar uma nova visão da cena, Ryan Murphy, que dirige os dois primeiros episódios, mostra de forma quase documental, o que estaria passando no interior do veiculo, já que as cenas reais, mostravam apenas cenas áreas (é possível ver toda a perseguição no Youtube).
Diante todas as provas (que incluíam amostras de sangue das vítimas e do acusado), parecia que a promotoria de acusação liderada por Marcia Clark (Interpretada pela excelente Sarah Paulson e Christopher Darden (Sterling K. Brown), não teriam trabalho para incriminar o suspeito. Porém, do lado da defesa um “time dos sonhos” composto por Robert Shapiro (John Travolta), Robert Kardashian (David Schwimmer, o Ross Geller da série “Friends“) , F. Lee Bailey (Nathan Lane) e Johnnie Cochran (Courtney B. Vance) estavam determinados em provar a inocência do seu cliente.

O elenco é um dos grandes méritos da série, que além de visualmente muito parecidos com os personagens reais (com excessão de Cuba Gooding Jr), mostra um entrosamento incrível entre os atores. Destaque para a ganhadora do Emmy Sarah Paulson, que é um dos personagens mais desenvolvidos da trama. O episódio “Marcia, Marcia, Marcia”, é dedicado a ela. E trata questões sexistas, onde a mídia faz de tudo para derrubar a promotora. Sua aparência, suas roupas e sua vida privada são alvos de chacotas em programas de TV e jornais. Diferente do livro, que coloca O.J Simpson como culpado, a série de forma genial, conduz o telespectador para dúvida do inicio ao fim da trama, mesmo tendo um desfecho já conhecido por muitos.

Por fim, o grande triunfo desta primeira temporada de American Crime Story é como tudo está em harmonia em pró roteiro. A direção, a produção (que nos leva de volta aos anos 90 com perfeição) e o elenco espetacular funcionam com uma engrenagem em sincronia, levantado questões como o racismo  que infelizmente ainda fazem parte do nosso dia-dia.

Intitulada como “The Assassination of Gianni Versace“, a segunda temporada terá sua estreia em 2018 e mostrará o assassinato do famoso estilista Gianni Versace. Que foi morto na escadaria de sua mansão pelo serial killer e garoto de programa Andrew Cunanan.

Pôster

Ficha técnica

  • Emissora de televisão: FX
  • Número de episódios: 10
  • Criação: Larry Karaszewski, Scott Alexander
  • Gênero: Drama, Biografia
  • Ano: 2016
  • País: EUA
  • Direção: Anthony M. Hemingway, Ryan Murphy e John Singleton
  • Roteiro: Scott Alexander, D.V. DeVincentis, Joe Robert Cole
  • Edição: Adam Penn
  • Fotografia:Nelson Cragg
  • Trilha sonora: Mac Quayle
  • Produção: John Travolta, Ryan Murphy, Brad Simpson

Avaliação

Cuba Gooding Jr.

O.J. Simpson

Sarah Paulson

Marcia Clark

John Travolta

Robert Shapiro

Courtney B. Vance

Johnnie Cochran

Sterling K. Brown

Christopher Darden

David Schwimmer

Robert Kardashian

Nathan Lane

F. Lee Bailey

Kenneth Choi

Juiz Lance Ito

Christian Clemenson

Bill Hodgman

Bruce Greenwood

Gil Garcetti

Dale Godboldo

Carl E. Douglas

Ariel D. King

Arnelle Simpson

Tye White

Jason Simpson

Angel Parker

Shawn Chapman

Steven Pasquale

Detetive Mark Fuhrman

Leonard Roberts

Dennis Schatzman

Joseph Siravo

Fred Goldman

Susan Beaubian


Armanda Cooley

Jordana Brewster

Denise Brown

Galeria de Fotos

Este slideshow necessita de JavaScript.

Trailer

GeraLinks - Agregador de links
1 Comentário

1 Comentário

  1. Pingback: Rebel in the Rye | Drama biográfico estrelado por Nicholas Hoult e Sarah Paulson ganha trailer • Cinema & Afins

Opine

Topo