crítica

Crítica | Os Defensores – Temporada 1

Crítica | Os Defensores – Temporada 1

Sinopse

A cidade de Nova York vem registrando alto índice de violência. Os super-heróis Demolidor (Charlie Cox), Jessica Jones (Krysten Ritter), Luke Cage (Mike Colter) e Punho de Ferror (Finn Jones) têm objetivos em comum e decidem unir forças para combater a criminalidade das ruas.

Crítica

Com universo estabelecido nos cinemas a Marvel em parceria com a Netflix tenta fazer o mesmo na televisão e fracassa com a primeira temporada de “Os Defensores“.

Quando a primeira temporada de “O Demolidor” foi lançada, confesso que fui assistir a série com um pé atrás, sentindo ainda aquele gosto amargo deixado pelo filme estrelado por Ben Affleck. Mas de forma surpreendente, a série do demônio de Hell’s Chicken tornou-se para mim,  a série de herói de todos os tempos. Logo em seguida, tivemos as séries de Jessica Jones, Luke Cage e Punho de Ferro, que apesar de boas, são inferiores.

Já “Os Defensores ” é uma série bem problemática do começo ao fim, com um roteiro pouco inspirado e diálogos pobres, a trama se arrasta ao longo dos seus oito episódios.  A história inicia logo após os eventos de Punho de Ferro, mostrando como estão os personagens isoladamente. As cores características de cada herói (amarelo de Luke Cage, vermelho de Demolidor, Roxo de Jessica Jones e Verde de Punho de Ferro) estão na fotografia ajudando o público a identificar qual história estamos acompanhando.  E isso é um dos poucos pontos positivos da série. A motivação que ligam os personagens para combater “O Tentáculo” é boa, mas mal desenvolvida (inexplicavelmente os ninjas, capangas da Madame Gao, sumiram).

 O roteiro perde muito tempo com subtramas  e personagens secundários que não acrescentam em nada na história. Outro grande problema do roteiro é a ameaça. Presente nas temporadas de “Demolidor” e “Punho de Ferro”,  “O  Tentáculo” finalmente revela quais são os principais membros.  Somos apresentados á vilã Alexandra, interpretada por Sigourney Weaver, que tem sua personagem desenvolvida, porém descartável. Assim como na segunda temporada de “O Demolidor”, a Elektra vivida pela péssima atriz, Elodie Yung, é o ponto mais baixo da temporada. A personagem é totalmente destoante, suas motivações e até o seu “poder” são questionáveis.

Outro ponto negativo, são as cenas de ação. Lutas mal coreografadas e cenas extremamente escuras comprometem muito o entendimento  do público.  Um dos causadores desta confusão visual é a edição, que na maioria das cenas são filmadas em planos abertos com uns cortes estranhos, rápidos, difíceis de acompanhar o que está acontecendo em cena. A parte técnica também compromete a experiencia, os efeitos visuais são mal executados, principalmente na luta final.

Apesar dos defeitos,  podemos notar uma boa sinergia entre os personagens, principalmente entre o “Demolidor” e a “Jessica Jones”, que juntos rendem os melhores (leia-se menos piores) diálogos, mas ainda sim, é muito pouco para quem almeja unificar seu universo cinematográfico

 

Pôster

Ficha técnica

  • Emissora de televisão: Netflix
  • Número de episódios: 08 (50 min.)
  • Criação: Roy Thomas e Ross Andru
  • Gênero: Ação, drama
  • Ano: 2017
  • País: EUA
  • Direção: S. J. Clarkson, Peter Hoar, Phil Abraham, Uta Briesewitz, Stephen Surjik, Félix Enríquez Alcalá e Farren Blackburn
  • Roteiro: Douglas Petrie, Marco Ramirez,Lauren Schmidt, Drew Goddard
  • Fotografia: Matthew J. Lloyd
  • Trilha sonora: John Paesano
  • Produção: Marvel Television, ABC Studios, Netflix, Goddard Textiles

Avaliação

Galeria de Fotos

Este slideshow necessita de JavaScript.

Trailer

Comentários

Siga-me no Twitter

Assinar blog por e-mail

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

2007-2017 Cinema & Afins - Um blog da Booger Network

Topo