Cinema

Crítica | (500) Dias Com Ela

Review (500) Days of Summer

Sinopse

Em (500) Dias com Ela, Tom Hansen (Joseph Gordon-Levitt) está em uma reunião com seu chefe, Vance (Clark Gregg), quando ele apresenta sua nova assistente, Summer Finn (Zooey Deschanel). Tom logo fica impressionado com sua beleza, o que faz com que tente, nas duas semanas seguintes, realizar algum tipo de contato. Sua grande chance surge quando seu melhor amigo o convida a ir em um karaokê, onde os colegas de trabalho costumam ir. Lá Tom encontra Summer. Eles também cantam e conversam sobre o amor, dando início a um relacionamento.

Crítica

(500) Dias com Ela” não foge do conhecido “garoto encontra garota”, no entanto, junta-se ao seleto grupo de filmes que conseguem subverter as regras do gênero, dando ao público uma experiência nova – ainda que parcialmente conhecida. Em sua estreia como diretor de longa-metragem, após vasta experiência com videoclipes (o que rende a trilha sonora destaque do longa), Marc Webb brinca com os clichês, inverte situações e personagens. Imprimindo um estilo marcante para Webb, o diretor inova e abusa de uma linguagem da produção bastante particular, aproveitando no filme toda sua experiência visual com os clipes: pega os 500 dias da história de Tom e Summer e os recorta, mostrando-os de maneira não linear, alternando momentos bons, ruins e comuns, agrupados por eventos mostrados pela perspectiva do apaixonado protagonista.

Zooey Deschanel, e Joseph Gordon-Levitt trocam olhares

 

Tom, é um típico nerd que cresceu ouvindo músicas e vendo filmes de amor, supervalorizando o sentimento, e acredita que vai encontrar sua alma gêmea. Ele toca seus dias sem muitas cores, trabalhando numa empresa que cria cartões festivos, e um dia, no escritório, conhece a garota que ele acredita ser a mulher perfeita: Summer. Descolada e apaixonante, a moça não quer compromisso sério porque simplesmente não acredita no amor. Por muitas vezes,a bela é doce e adorável, ao ponto de o expectador se encantar por ela. Mas da perspectiva de Tom, percebemos que também consegue ser indiferente e cruel, falando algumas das frases mais dolorosas que os apaixonados nunca podem ouvir, sem dó nem piedade de seu amado.

Mais do que uma maneira divertida, criativa e inteligente de contar uma história que de outra forma pareceria convencional, o filme tem uma visão absolutamente honesta, ainda que um tanto tragicômica, do amor, apresentando um retrato mais sincero do que a maioria das produções do gênero.
Dessa forma ainda contamos com o roteiro que valoriza os diálogos rápidos e divertidos, repletos de referências tanto ao mundo pop quanto ao universo dos amores desfeitos. Temos aqui uma espécie de antídoto, um lembrete da realidade: o amor machuca e os amantes sofrem, mas tudo supera-se e seguimos em frente. Romance mais contemporâneo impossível!

Conseguimos perceber uma influência provocada por “Noivo Nervoso, Noiva Neurótica” (Annie Hall): no clássico de Woody Allen, legendas revelam o que os protagonistas realmente querem dizer, enquanto neste, a tela dividida separa “Realidade” e “Expectativa”.

Ficha Técnica

  • Título original: (500) Days of Summer
  • Nacionalidade: EUA
  • Gêneros: Comédia , Drama, Romance
  • Ano de produção: 2009
  • Estréia: 6 de novembro de 2009 (Brasil)
  • Classificação: 12 anos
  • Duração: 1h 36 minutos
  • Direção: Marc Webb
  • Roteiro: Scott Neustadter, Michael H. Weber
  • Produção: Scott Hyman, Mason Novick, Jessica Tuchinsky, Mark Waters, Steven J. Wolfe
  • Música: Mychael Danna, Rob Simonsen
  • Fotografia: Eric Steelberg
  • Edição: Alan Edward Bell
  • Produção design: Laura Fox
  • Direção de arte: Charles Varga
  • Figurino: Hope Hanafin
  • Estúdio: Fox Searchlight Pictures, Watermark, Dune Entertainment III
  • Distribuidor: Fox Film do Brasil

Pôster

Poster de (500) Days of Summer

Este slideshow necessita de JavaScript.

.

Trailer | (500) Dias Com Ela

Trilha sonora | (500) Dias Com Ela

4 comentários

Participe da discução

Topo