Cinema

Crítica: Preciosa – Uma História de Esperança

Preciosa – Uma História de Esperança, filme independente produzido Oprah Winfrey, começou sua trajetória cedo, conquistou três prêmios no Festival de Cinema de Sundance, o de melhor filme (pelo júri e pelo público) e um prêmio especial, concedido à atriz Munique. Ganhou destaque em Cannes, Toronto, SAG, Globo de Ouro, e agora desponta como uns dos favoritos ao Oscar com seis e merecidas indicações.

“Às vezes eu desejo que não estivesse viva. Mas eu não sei como morrer. Não há nenhum botão para desligar. Não importa o quão ruim eu me sinta, meu coração não para de bater e meus olhos se abrem pela manhã”. A frase dita pela protagonista é o reflexo de uma história intensa de adversidade que resume a trajetória de Claireece Precious Jones (Gabourey Sidibe), a Preciosa do título, é uma adolescente de 16 anos. Negra, obesa, semi- analfabeta, que é Violentada pelo pai (Rodney Jackson) e abusada fisicamente e psicologicamente pela mãe. Tamanho sofrimento para uma única pessoa pode parecer exagero. Seria, se o longa não fosse baseado nas experiências pessoais como assistente social da escritora Sapphire, que presenciou  e relatou no seu livro “Push”  toda forma de violência possível.

O roteiro é o clássico “filme feito para Oscar’, o que necessariamente não é um defeito, afinal as atuações do elenco seguram qualquer falha. A estreante Gabourey Sidibe que interpreta a protagonista, brilha tanto nas cenas mais intensas, quanto nas cenas em que usa a imaginação para escapar da realidade. Já a atriz Mo’Nique (que já ganhou todos os prêmios possiveis como atriz coadjuvante), conhecida por papeis em séries e filmes de comédia, transforma-se literalmente em um monstro, ao interpretar a amarga mãe de Clarice. A atriz confere tamanha veracidade ao seu personagem asqueroso, que é muito difícil suportá-la em cena, encerrando o filme de maneira espetacular.

Destaque também, para Paula Patton, que interpreta a professora Miss Rain, e Mariah Carey (quase irreconhecível sem maquiagem) a assistente social Mrs. Weiss- ambas fazem uma papel importante, e colocam uma nova perspectiva no destino de Preciosa.

A direção de Lee Daniels (“conhecido por fazer filmes desconhecidos”) está muito boa, o diretor opta por câmera na mão e conduz as cenas mais intensas com closes nos rostos e as cenas que formam a imaginação da personagem são as bem encaixadas (mérito da ótima edição), muitos podem achar um pouco repetitivo, ou até mesmo caricato.

Preciosa deve ser para mim um dos filmes mais difíceis de assistir desde Monster – Instinto Assassino. É um sofrimento, uma violência incabível que tortura a personagem título e o público do filme – e me faz pensar, do quanto sou feliz e nem sei.

Trailer:

Ficha Técnica:

Título original:Precious: Based on the Novel Push by Sapphire
Gênero:Drama
Duração:01 hs 50 min
Ano de lançamento:2009
Diireção: Lee Daniels
Roteiro:Geoffrey Fletcher, baseado em livro de Sapphire
Elenco:Gabourey Sidibe, Mo’Nique, Paula Patton, Mariah Carey, Sherri Shepherd, Lenny Kravitz, Stephanie Andujar
Produção:Lee Daniels, Gary Magness e Sarah Siegel-Magness
Música:Mario Grigorov
Fotografia:Andrew Dunn
Direção de arte:Matteo de Cosmo
Figurino:Marina Draghici
Edição:Joe Klotz

Comentários
Topo