Cinema

Crítica | Guerra ao Terror (The Hurt Locker, 2008)

Sinopse

Em Guerra ao Terror, JT Sanborn (Anthony Mackie), Brian Geraghty (Owen Eldridge) e Matt Thompson (Guy Pearce) integram o esquadrão anti-bombas do exército americano, em ação em pleno Iraque. Eles trabalham na destruição de um explosivo, fazendo com que seja detonado sem que atinja alguém. Entretanto, um erro faz com que o artefato exploda e mate Thompson. Em seu lugar é enviado o sargento William James (Jeremy Renner), que possui grande sangue frio em ação. Isto gera alguns desentendimentos com Sanborn, que o considera irresponsável. Apesar disto, o trio segue na ativa, tendo consciência de que cada dia concluído de trabalho é um dia a mais de vida.

Crítica

Desde que as tropas americanas invadiram o território iraquiano em 2003, Hollywood produziu cerca de 30 longas que abordaram o mesmo tema, sempre sob uma visão diferente, como os recentes “Entre irmãos’, “O Mensageiro”, e  o ainda inédito “Guerra Sem Cortes”de Brian De Palma,  e “Rede de Mentira”de Ridley Scott. Mas nenhum deles arrecadou tantos prêmios e elogios da critica especializada quanto “Guerra ao Terror” .

Escrito pelo estreante Marx Boal, o filme acompanha os últimos dias de um batalhão especializado em desativar bombas no Iraque. Aqui, o cenário de selva fechada, normalmente utilizado nos filmes sobre Vietnã é substituído por um cenário deserto e semi – destruído- e, assim, cada prédio, janela, ou esquina pode representar uma ameaça em potencial para os soldados do exército invasor.

 

Antes de ser conhecida por ex-mulher de James Cameron, Kathryn Bigelow, era conhecida como a diretora do clássico de sessão da tarde  “Caçadores de emoção” estrelado por Patrick Swayze e Keane Reeves, e  o mais recente K9 estrelado por Harrison Ford. Rótulos  à parte, Bigelow está prestes de quebrar um tabu no Oscar, ao torna-se a primeira mulher  ( justamente no dia Internacional da mulher) levar o prêmio de melhor filme e direção da história da maior premiação do cinema – que diga-se de passagem será um reconhecimento merecido.

Com muita segurança Bigelow dirige um elenco formado apenas por homens, e conduz o filme com uma dose de adrenalina invejável desde a cena inicial, quando o Tenente Thopsom (em pequena participação de Guy Pearce) irá desativar sua última bomba. Destaque também, para cena no deserto (que conta com a pequena participação Ralph Fiennes) que é tecnicamente impecável, como uma fotografia simplesmente formidável ,e que testa a adrenalina e o psicológico de cada  um do pelotão e até mesmo do telespectador .

Não tem como não falar de “Guerra ao Terror’, sem não criticar a distribuição do longa, que teve uma recepção fria nos EUA, e a acabou sendo distribuído direto pra DVD em vários países, inclusive no Brasil. Fato, que pode entrar pra historia, afinal Se “Guerra ao Terror” confirmar seu favoritismo ao Oscar (onde concorre a 9 categorias, inclusive de melhor filme e direção) , o longa Será o ganhador com a menor arrecadação (cerca 8,5 milhões de dólares nos cinemas ao redor do mundo) da historia da premiação.

Galeria de fotos | Guerra ao Terror

Este slideshow necessita de JavaScript.

Trailer  | Guerra ao Terror

Jeremy Renner

Sargento William James

Anthony Mackie

Sargento JT Sanborn

Guy Pearce

Sargento Matt Thompson

Ralph Fiennes

Nome não revelado

ralph-fiennes
Evangeline Lilly

Connie James

Brian Geraghty

Owen Eldridge

David Morse

Coronel Reed

Christian Camargo

Coronel John Cambridge

Sam Spruell

Clarlie

Malcolm Barrett

Sargento Foster

J.J. Kandel

Nome não revelado

Ryan Tramont

Nome não revelado

Ficha Técnica

  • Título original: The Hurt Locker
  • Nacionalidade: EUA
  • Gêneros: Guerra, Ação, Drama
  • Ano de produção: 2008
  • Estréia: 5 de fevereiro de 2010 (Brasil)
  • Duração: 2h 04 minutos
  • Classificação: 14 anos
  • Direção: Kathryn Bigelow
  • Roteiro: Mark Boal
  • Produção: Kathryn Bigelow, Mark Boal, Nicolas Chartier, Jenn Lee, Tony Mark, Donall McCusker, Jack Schuster, Greg Shapiro, Kirk Shaw
  • Trilha sonora: Marco Beltrami, Buck Sanders
  • Fotografia: Barry Ackroyd
  • Edição: Chris Innis, Bob Murawski
  • Design de produção: Karl Júlíusson
  • Direção de arte: David Bryan
  • Decoração de set: Amin Charif El Masri
  • Figurino: George L. Little
  • Estúdios: Voltage Pictures, Grosvenor Park Media, Film Capital Europe Funds (FCEF), First Light Production, Kingsgate Films, Summit Entertainment
  • Distribuição: Imagem Filmes

Pôster

Comentários
Topo