Cartazes

Crítica – Quincas Berro d’ água

Adaptação da obra literária de autoria de Jorge Amado, novo filme de Sérgio Machado é uma das grandes promessas do cinema nacional desse ano, dando vida à um grande personagem da literatura popular.


O filme, “Quincas Berro D’Água”, tem estreia marcada para 14 de Maio em todo território nacional, mas sessão exclusiva para blogueiros, o Cinema & Afins  pôde deliciar-se com essa obra, na primeira exibição ‘ao público’ do filme. Abaixo, a crítica sobre a obra, produto da união desses dois gênios!

Filmes baseados em livros são, no geral, decepcionantes aos leitores que tornaram-se posteriormente seus espectadores. Exigem eles dos mesmos, certa conformação perante a forte omissão de informações devido o tempo disponível para a exibição do conteúdo de certas tramas quando estas são transformadas em filme. Mas aqui está um ótima notícia: tranquilizem-se os amantes de Jorge Amado, tal conformação não será necessária ao espectador deste novo filme baseado em um de seus livros.
Sérgio Machado, nesta adaptação, realiza seu segundo longa de ficção dando cor à uma das histórias mais conhecidas e amadas da literatura brasileira; “A morte e a morte de Quincas Berro D’Água”. Aproveitando para dar vida à um dos personagens mais famosos de Jorge Amado, o diretor traz às telas o lado boêmio e portuário da capital baiana (mais uma vez!), tornando ‘Quincas Berro D’água’ algo muito além de uma ótima pedida para todos aqueles que desejam matar a saudade da obra do escritor, ou que simplesmente anseiam por uma boa diversão.

Sendo aguardado para a festa preparada por seus amigos e não comparecendo, o mesmo dá-se por morto no leito de sua cama, sendo encontrado por um dos colegas que inconformado, repassa a informação à todos os seus conhecidos, que reagem de mesma forma, encontrando-se entre a desilusão e o choque da perda. Entre os informados encontra-se sua filha, que envergonhada pelo fato de o pai ter abandonado a família pela ‘gandaia’, planeja sepultá-lo o mais brevemente possível, mas a mesma não contava, porém, com a presença dos duvidosos amigos do falecido para a cerimônia, amigos que decidem dar ao finado uma última noite inesquecível e digna, regada a festa e muita bebida. Dessa forma, após sua breve ausência no quarto que pertencera ao pai, seus amigos “roubam” o corpo do mesmo e em meio a mil confusões, Quincas “vive” a sua segunda e definitiva morte, desta vez como sempre sonhou. A história tinha tudo para ser trágica, mas de tão debochada torna-se uma comédia com momentos que jamais serão revistos.
O roteiro da obra é o grande trunfo, pois quando tratamos de obras de renome, o mesmo acaba pecando, mas neste caso foi adaptado de tal forma que tornou-se impossível tentar compará-lo negativamente ao conteúdo literário. A fotografia, embora excessivamente escura em certas cenas, valoriza os locais onde desenrola-se a trama, desde os bares e pedaços do Pelourinho, até os becos escuros de Salvador. No quesito atuações, as mesmas são excelentes, também tornando-se ponto favorável à película. Marieta Severo, como Manuela, diverte no papel da desiludida amante do boêmio, assim como Mariana Ximenes, que nos deixa maravilhados no papel da filha de Quincas; mas são Frank Menezes, Irandhir Santos, Luis Miranda e Flávio Bauraqui que, nos papéis dos quatro amigos do ‘morto’, rendem as melhores cenas do filme, recheadas de momentos impagáveis e hilários. Dessa forma, entre sequestro de corpo, roubos de galinha, brigas de bar e dilúvios em alto mar, temos o desenrolar de uma história imperdível, que é sobretudo, uma grande homenagem à Jorge, à amizade e ao amor do escritor – e do diretor! – à boêmia baiana!
Assim como no literário, em filme, Quincas é rei dos botecos, bordéis e gafieiras da Bahia, um ex-funcionário público que decide acabar com as velhas regras e princípios, deixando-se levar sem culpa pelo melhor da vida. Amante das farras que somos permitidos viver quando cercados por amigos fiéis, o mesmo acaba por falecer no dia de seu aniversário.

Trailer:

Ficha Técnica:

Título original:Quincas Berro D’Água
Gênero:
Comédia
Ano de lançamento:
2010
Estúdio:
VideoFilmes / Buena Vista / Globo Filmes
Direção:
Sérgio Machado
Roteiro:
Sérgio Machado, baseado em livro de Jorge Amado
Elenco:
Paulo José , Marieta Severo , Mariana Ximenes , Vladimir Brichta , Flávio Bauraqui
Produção:
Walter Salles e Maurício Ramos
Música
:Beto Villares
Fotografia:
Toca Seabra
Direção de arte:
Adrian Cooper
Figurino:
Kika Lopes
Edição
:Márcio Hashimoto

 

 

 

 

Comentários
Topo