Cinema

Crítica | Se Beber, Não Case! Parte 2

Sinopse

Depois de uma farra inesquecível em Las Vegas, Phil (Bradley Cooper), Stu (Ed Helms), Alan (Zach Galifianakis) e Doug (Justin Bartha) seguiram com suas vidas. Mas o bom e velho Stu está disposto a se casar novamente, desta vez com Lauren (Jamie Chung), e o local escolhido para a cerimônia foi a exótica Tailândia. Entretanto, o que era para ser uma simples despedida de solteiro acabou se transformando em outra aventura muito louca, só que agora num país diferente, com suas próprias regras e a promessa de ser “marcante”

Crítica

As chances de nas comédias atuais, encontrarmos conhecidos clichês e piadas de humor ‘fraco’ são gigantescas. A palavra “inovação” parece soar estranha aos ouvidos dos roteiristas do gênero, de modo que a maioria de suas obras contém ritmo e enredo praticamente iguais.

Porém há 3 anos, Craig Mazin e Scot Armstrong , roteiristas de “Se Beber Não Case”, resolveu utilizar um óbvio clichê norte-americano de uma forma um tanto diferente, transformando o que era somente mais uma “despedida de solteiro em Las Vegas” em um sucesso que rendeu ao espectador uma divertida experiência.

Não é por menos que, ao ser anunciada a continuação do longa, fãs e críticos animaram-se sem dar-se conta de que o sucesso muitas vezes, cria uma barreira frente à criatividade. E assim, na última sexta-feira, foi lançado “Se Beber não Case II”, uma cópia racista do primeiro filme.

Anos após a primeira “despedida”, o quarteto reencontra-se para celebrar o casamento de Stu na exótica Tailândia. Mas o que era para ser um fim de semana tranquilo torna-se um transtorno quando, após uma madrugada de festa, todos acordam sem recordar-se dos acontecimentos da noite anterior, inclusive o paradeiro do irmão da noiva.

Dirigida por Todd Phillips, a nova produção abusa das menções ao filme anterior e das piadas de humor negro, criando um clima ofensivo e tedioso ao espectador. As chances de utilizar o visual e singularidades do continente asiático são descartadas, ignoradas em sua maioria para dar espaço à piadas com diferentes culturas como, por exemplo, o incidente na boate de strip-tease e a intriga com a máfia russa, prova de que os Estados Unidos estão longe de superar os estereótipos xenofóbicos.

Fora as claras falhas ética de enredo, encontramos ainda a superexposição de Zach Galifianakis que retorna à personagem do transtornado Allan, incumbido de toda a execução das cenas de humor devido ao seu sucesso e destaque no primeiro longa, fato que torna as personagens de Justin Bartha (que novamente, pouco aparece), Edward Helms e Bradley Cooper forçadas, desperdiçando o diferencial talento do trio, que permanece apagado durante toda a projeção desta segunda parte da história. Assim, bloqueando o desenvolvimento da trama, dos atores e da diversão do espectador, “Se Beber Não case Parte II” torna-se uma das piores sequências cinematográficas dos últimos anos – e um acidental e odioso “remake” de seu antecessor.

Pôster

Ficha técnica

  • Titulo original: The Hangover Part II
  • Gênero: Comédia
  • Direção: Todd Phillips
  • Roteiro: Craig Mazin, Jon Lucas, Scot Armstrong, Scott Moore, Todd Phillips
  • Produção: Daniel Goldberg, Todd Phillips
  • Fotografia: Lawrence Sher
  • Trilha Sonora: Christophe Beck
  • Duração: 102 min.
  • Ano: 2011
  • País: Estados Unidos
  • Cor: Colorido
  • Estreia: 27/05/2011 (Brasil)
  • Distribuidora: Warner Bros
  • Estúdio: Green Hat Films / Legendary Pictures / Living Films / Warner Bros. Pictures
  • Classificação: 16 anos

Avaliação

Galeria de Fotos

Este slideshow necessita de JavaScript.

Trailer

Trailer 2

 

1 Comentário

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Topo