Cinema

Visita ao Inferno | Documentário sobre vulcões dirigido por Werner Herzog ganha trailer

Visita ao Inferno (Into the Inferno), documentário sobre vulcões, produzido pela Netflix e dirigido por Werner Herzog (Ao Abismo: Um Conto de Morte, um Conto de Vida), teve eu primeiro trailer divulgado, assista;

 

“Visita ao Inferno”, chega exatamente onde o título indica: dentro das crateras cheias de magma incandescente e vermelho localizadas em alguns dos vulcões mais ativos e assombrosos do mundo. E essa também se transforma em uma das viagens mais extremas da longa carreira do diretor. Seja na Coreia do Norte, na Etiópia, na Islândia, ou no arquipélago Vanuatu, os seres humanos vêm criando narrativas para dar um sentido aos vulcões. Como disse Herzog: “vulcões não dão a mínima para o que a gente está fazendo aqui em cima“. “Visita ao Inferno” reuniu Herzog com o reconhecido vulcanologista Clive Oppenheimer para oferecer não apenas uma exploração em profundidade dos vulcões do planeta, mas também um exame sobre os sistemas de crença que criamos ao redor desse fenômeno.

O primeiro encontro de Herzog e Oppenheimer se deu 10 anos atrás nas encostas do vulcão do Monte Erebus, na Antártica, durante a filmagem de  “Encontros no Fim do Mundo“. Seu mais novo filme nunca para, nunca deixa de buscar. Vemos Oppenheimer no Lago Toba, na Indonésia, que foi o local de uma das maiores erupções conhecidas pelo homem, 74.000 anos atrás. Oppenheimer e Herzog vão até o Monte Sinabung, onde quase não escapam de uma erupção mortal, e depois visitam o Monte Merapi, em Java, um dos vulcões mais sagrados da Indonésia. Viajam para um dos desertos mais quentes do mundo, na Etiópia; vão para a Islândia e, incrivelmente, para o centro da Coreia do Norte. Durante as viagens, eles investigam as criativas e diversas histórias que as pessoas contam sobre a presença e o significado dos vulcões. O Monte Paektu, na Coreia do Norte, por exemplo, é venerado pelo regime atual como o local de nascimento da revolução e da nação coreana. Há também o Codex Regius, o bem mais precioso da Islândia, um texto antigo que fala sobre a erupção de um vulcão no século 10. Visita ao Inferno” é um Herzog da melhor qualidade, apresentando lugares extraordinários, personagens excêntricos, histórias improváveis e, através de tudo isso, uma chance de mergulhar em um assunto hipnotizante e emergir com uma nova compreensão.

“Visita ao Inferno” estreia na Netflix em 28 de outubro.

Comentários
Topo